O avião da Malaysia Airlines --desaparecido em 8 de março com 239 pessoaso-- não caiu na região do oceano Índico onde foram registrados sons que as autoridades acreditavam que fossem das caixas pretas, informou nesta quinta-feira (29) o Centro de Coordenação Internacional de Buscas.

"Podemos afirmar que aquela região não é o local onde caiu o voo MH370", revela o comunicado. O anúncio é o último passo atrás no que já é a mais longa missão de busca na história da aviação comercial.

O comunicado ressalta que as buscas vão continuar, em três novas fases. Primeiro, todos os dados coletados serão revisados para então se definir uma nova zona de busca, com até 60 mil quilômetros quadrados ao longo do arco no sul no oceano Índico -- uma área bem mais ampla do que a definida anteriormente.

Em seguida, será feita uma pesquisa no solo do oceano na área definida. A partir daí, serão requisitados os serviços especializados necessários para a busca nessa região. A estimativa é que a busca submarina com o uso de robôs seja retomada apenas em agosto e que ela tenha uma duração de 12 meses.

Notícia completa aqui.

Fonte: Uol Notícias Internacional

Filiação

IMRF

Apoio

Marinha do BrasilUFSCUNIVALISINDIPI